Histórico

Estudos revelam que a região oeste na pré-história era habitada por tribos indígenas. A descoberta de sítios arqueológicos, urnas funerárias e pinturas rupestres – que ainda hoje podem ser encontradas em grutas de São Desidério – atesta indícios de vida humana na época das cavernas. Com a divisão do Brasil em Capitanias Hereditárias, o oeste da Bahia foi inserido, por determinação do Rei de Portugal D. João III, no território de Pernambuco, decisão confirmada em 10 de março de 1534, sob a responsabilidade do donatário Duarte Coelho.

 

historico

Aspecto da Praça Nossa Senhora Aparecida no final da década de 1940

D. Pedro I, em 15 de outubro de 1827, assinou o decreto que transformou a região correspondente à Bahia em Campo Largo. No final do século XIX Campo Largo foi desmembrado com a criação de Angical em 1890, e Barreiras em 1891. Devido à localização, São Desidério, Catolândia e Baianópolis pertenciam a Barreiras.

POLÍTICA

No mesmo ano da conquista emancipatória, 1962, em 1º de maio, foi redefinida a composição do diretório político de São Desidério como iniciativa para a primeira eleição do município. Na época, o diretório era constituído pelo Partido Social Democrático – PSD, que teve como representante Abelardo Alencar, o Partido da União Democrática Brasileira – UDN, que lançou o candidato Antonio Pereira da Rocha e o Partido da República – PR, com o candidato Celso Barbosa dos Santos.

Nesse período as eleições ocorriam por meio de cédulas. Com 526 votos Abelardo Alencar foi eleito o primeiro prefeito de São Desidério com o vice Caio Bandeira, que tomaram posse no dia 7 de abril de 1963, juntamente com oito vereadores: José Ribeiro Sobrinho (PSD), Olavo Pereira dos Santos (PSD) – Presidente da Câmara, Bento Alves das Neves (PSD), Cirino Alves Teixeira (PSD), Francisco José Pereira (UDN), Sebastião Camilo (UDN), José Alves de Souza Almeida (PR) e Edson José de Souza (PR).

A primeira gestão voltou-se para as questões imediatas de infraestrutura. O MDB, partido Moralista Democrático Brasileiro popularmente conhecido como ‘manda brasas’, e os arenistas do PSD, foram os que mais vigoraram na história política do município.

A partir de 1993 um novo partido surge no cenário da política local, o Partido da Frente Liberal – PFL.
Por este mesmo partido (PFL), tomou posse, em 1997, João Barbosa de Souza Sobrinho (Zito). Reeleito, administrou o município de 2001 a 2004. De 2005 a 2008 foi a vez de Arnon Pereira Lessa assumir a prefeitura. E, em 2009, pela terceira vez Zito Barbosa venceu as eleições para prefeito tendo como vice Demir Barbosa, pelo PMDB. Em março de 2012 Demir é empossado prefeito.