Professores da zona rural recebem Capacitação do Programa Despertar em São Desidério

“Viver bem no campo: Educação ambiental, saúde e qualidade de vida”, é o tema norteador do Projeto Despertar no município de São Desidério. A temática fundamentou os trabalhos da Formação Municipal e Seminário de Pedagogia por Projeto do Programa Despertar, que teve início na manhã desta segunda-feira, 15, no Centro Cultural, e segue até amanhã, 16. O evento realizado pela Secretaria Municipal de Educação (SEDUC) reúne professores, diretores e coordenadores pedagógicos das escolas de 27 escolas da zona rural, envolvidas no programa.

Voltado à Educação Ambiental, o Despertar é desenvolvido no município pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) e Federação da Agricultura do Estado da Bahia (FAEB), por meio da Secretaria de Educação (SEDUC) e em parceria com os Produtores Rurais de Luís Eduardo Magalhães, Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Econômico (SEAGRI) e Secretaria de Meio Ambiente (SEMA).

“Mais de 80% dos alunos da rede municipal estão concentrados na zona rural de São Desidério. Esta proposta do SENAR para o desenvolvimento da educação ambiental só vem a somar, porque sabemos que não dá para trabalhar apenas os conteúdos sem pensar em uma nova proposta curricular para fazer um trabalho diferenciado, com destaque para a melhoria das condições de vida de nossos alunos do campo e primando pela diferença na vida deste cidadão”, destacou a secretária de Educação, Iléia.

A coordenadora do Despertar, Sandreane Mattos, está otimista quanto aos rumos do programa no município. “Este ano, o programa começou com algumas ações já definidas, os professores estão bem entusiasmados, e as parcerias estão fortalecidas. Já tivemos eleição do agente despertar que é baseado na escolha de um aluno para representar o projeto dentro da escola”, disse Sandreane ao explicar que a programação contempla a construção do Plano de Ação a ser desenvolvido dentro do programa pelas escolas.

Durante o evento os participantes enfatizaram as experiências do Despertar nas comunidades. “A experiência do Despertar foi muito boa. Surtiu efeito porque a comunidade passou por um problema com a falta de água, devido a nascente que estava secando, e por meio do programa, escola, comunidade e as parcerias, foi pensado em reflorestar e cercar a nascente”, revelou o diretor da escola do povoado de Cabeceira Grande, Geovânio Teixeira.

A tarde foi marcada pela temática Educação no campo, com a palestra “Tecendo saberes: a relação da UNEB – Campus Barreiras e as práticas de Educação do campo no território da Bacia do Rio Grande – BA”, ministrada pela professora da universidade, Nilza Lima, que orientou os participantes sobre a construção do Plano de Ação das escolas.

Na terça-feira, a programação será desenvolvida em torno do Seminário de Pedagogia por Projeto do Programa Despertar. “Os professores irão rever a metodologia do programa para elaboração do projeto dentro da escola, e terão momentos de orientação com representantes do SENAR acerca do Diagnóstico da Realidade Socioambiental (DRS) e do Quadro Regulador do Aprendizado (QRD)”, reforçou a coordenadora Sandreane.

Parcerias – A secretária de Agricultura Patrícia Rocha reforçou o apoio ao programa. “A SEAGRI é parceira, por ser um programa de grande importância para o desenvolvimento no campo. Temos que fortalecer a cultura local das comunidades envolvidas e evitar o êxodo rural. A SEAGRI dará suporte na produção das hortas escolares e assessoria técnica”, afirmou.

De acordo com o assessor técnico da SEMA, Vinícius Rocha, a educação ambiental tem que ser entendida como um processo. “Os professores, como agentes formadores de opinião, precisam despertar nos alunos a importância de preservação dos bens naturais que existem nas comunidades”, complementou.

Texto: Ana Lúcia Souza
Fotos: Rodney Martins

  • Compartilhe: