Prefeitura realiza cadastro do CEFIR para proprietários de imóveis rurais do município

A Secretaria de Meio Ambiente em parceria com a empresa Ambientagro realizou na manhã dessa segunda-feira, 15, na comunidade de Furquilha o Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais-CEFIR aos proprietários de imóveis rurais. O CEFIR é um registro eletrônico, de natureza declaratória e obrigatória para agricultores familiares que possuem imóveis rurais com até quatro módulos fiscais.

Dona Maria Rodrigues de Jesus, mora há 65 anos na localidade, é proprietária de 33 hectares de terra. Para ela a realização do cadastro do seu imóvel é muito importante. “É uma grande vantagem para nós, porque agora tudo vai ficar regularizado, estou muito alegre e tenho certeza que todos que fizeram o cadastro vão sair ganhando muitos benefícios”, disse.

Segundo o engenheiro agrônomo e fiscal da Secretaria de Meio Ambiente, Acácio Carvalho, responsável pelos cadastros, faltam cadastrar 2.000 propriedades para concluir todas as áreas rurais do município. “Estamos indo nas localidades para concluir a regularização em algumas propriedades que não entraram no primeiro lote de cadastramento e o município de São Desidério está quase finalizando esses cadastros. Só lembrando que o CEFIR foi criado pelo Código Florestal (Lei n° 12.651/2012), e é uma ferramenta importante para auxiliar no planejamento do imóvel rural e na recuperação de áreas degradadas, constitui-se no levantamento de informações georreferenciadas do imóvel, com delimitação das Áreas de Preservação Permanente (APP), Reserva Legal (RL) e remanescentes de vegetação nativa”, explicou.

Os proprietários de imóveis rurais que ainda não se cadastraram, pode procurar a Secretaria de Meio Ambiente do município e levar RG, CPF ou documentos que possui a comprovação de titularidade de terra. “Todas as propriedades ou posses produtíveis de até quatro módulos fiscais é obrigado se cadastrar. Imóveis como sítios, chácaras ou condomínios também precisam fazer o cadastro” assegurou o secretário de Meio Ambiente João Antônio Linhares.

 Texto e fotos: Diego de Souza

 

  • Compartilhe: